Amplificador de Headphones para Guitarra


Fiz este pequeno amplificador, para suprir as necessidades do meu filho.  As vezes ficava observando, ele tocando a guitarra de forma "acústica", acompanhado pelo MP3, muitas das vezes, diante do computador, repetindo várias vezes a mesma música até aprender.

Em algumas ocasiões, eu (que não toco guitarra) achava que ele estava exercendo muita "pressão" nas cordas para poder ouvir a guitarra não plugada, já que estava com os phones do MP3.  Mesmo ele dizendo que não, e que "pegada" era a mesma, estando a guitarra plugada ou não, ainda assim eu cismava que se ele estivesse ouvindo a guitarra plugada exerceria menor "pressão nas corda".

O que fiz, foi pegar vários circuitos que já vi fórum http://www.handmades.com.br, do qual participo e juntar para fazer este amplificador para phones.

- Peguei emprestado o buffer do "Ruby Mini-Amp", sequestrei o controle de tone do "Big Muff", e adicionei um pré com BC549, depois juntei com o amplificador para phones de exemplo no datasheet do TDA2822.

Um amplificador com o TDA2822, é mais que suficiente em termos de volume para um amplificador para Headphones.  Em algumas caixas de PC mais econômicas, normalmente são usados estes integrados, desta forma, se quiser plugar um par de caixas no amplificador, no lugar do headphones terá volume suficiente para fazer bastante "barulho" (quase 1W de potência, com 9V). 






Estas são as fotos do protótipo, que está totalmente funcional.  Estes capacitores e o resistor por baixo da placa, foram os ajustes necessário para diminuir o ganho do amplificador da guitarra e a interação do mixer, quando se atuava no controle de volume do mp3.  No pdf com o layout final, esta correção já está inclusa e não fica componente nenhum por baixo da placa.

A diferença em relação ao protótipo está só na parte da entrada de MP3, que troquei a posição dos capacitores de acoplamento do sinal (são aqueles vistos por baixo da placa na segunda foto).  Como o potenciômetro de volume do MP3 atuava direto na entrada do amplificador, atenuando todo o sinal, não deixava o sinal da guitarra passar, quando ele estava fechado.

Assim como reloquei os capacitores e resistores da entrada de MP3, e o capacitor do pino 8 do TDA2822.  Portanto, nada na parte de guitarra ou tone.  Dá para comparar com as fotos.  O novo layout já foi testado.


Aqui está o link com o pdf do layout, caso alguém deseje montar:

Para evitar que seja ligado de forma acidental, ou mesmo seja esquecido ligado, e acabe descarregando a bateria, não foi colocado interruptor liga/desliga.  Esta função ficou no próprio jack de entrada da guitarra, portanto o amplificador só liga quando o plug da guitarra é inserido.

Inicialmente o amplificador estava alojado em uma caixa de plástico, que é a mais fácil e comum de encontrar em qualquer loja de eletrônica.

Mas resolvi dar uma personalizada e fazer algo mais pessoal.  Então pequei umas sobras de madeira para fazer um pequeno gabinete, aproveitei ainda para fazer um retrofit num headphone que foi distribuído numa promoção na época do Rock'in Rio.  Acabei gostando do resultado.











Cubo para Guitarra

Diário de Construção


Quando resolvi criar este Blog, a intenção era tentar recuperar parte do conteúdo das imagens que foram perdidas num tópico que publiquei em 21 de Maio de 2011 no Fórum Handmades sob o título de Diário de construção de um Cubo para Guitarra


Quando comecei a escrever; estava recorrendo ao tópico citado, para aproveitar parte do texto publicado lá, e para minha grata surpresa, enquanto escrevia aqui; tudo voltou ao normal no Handmades. Coloquei uma sequência de fotos mostrando a saga da montagem de um "Cubo para Guitarra".

Por motivos interno no site, as fotos que ficavam hospedadas no próprio haviam se perdido (O problema já foi resolvido).  Como alguns membros solicitaram que eu lhes mandasse por email, então resolvi colocar aqui, de forma que fique mais fácil para aqueles que queiram consultar o projeto.

Vou tentar recriar a sequência em que coloquei as fotos da montagem, e provavelmente não ficará exatamente igual, mas assim mesmo dará para ter uma boa idéia.  Espero que possa ajudar aqueles que queiram montar, ou mesmo ter algumas idéias para montagem.   Ficará aqui uma sequência de fotos, e quando necessário é só recorrer ao link acima indicado para tirar as dúvidas que ainda restarem.

 O Começo

Quando comecei o projeto, a intenção inicial era a construção de um Cubo para Violão para meu filho, já que era o instrumento que ele estava iniciando; mas como há uma certa dificuldade de encontrar na net projetos prontos para violão, ao mesmo tempo que não é tão necessário, já que é mais fácil tocar de forma acústica.  Parti então para construção de um Cubo para Guitarra, pelo fato de que meu filho queria de presente um Guitarra; e como não ia dar para comprar os dois ao mesmo tempo, resolvi juntar o útil ao agradável; neste caso montar o Cubo (Desafio assumido comigo mesmo), podendo assim personalizar ao gosto dele, enquanto eu me divertia com a montagem.  Então aproveitei para documentar com fotos, as etapas de montagem, espero que gostem, pois eu e meu filho gostamos muito do resultado final, que é esta foto acima da abertura.

Obs: nem sempre a montagem sai mais barato do que comprar um equivalente comercial; portanto não é apenas uma questão de economia.

Eu não saberia dizer ao certo quanto gastei nesta empreitada, pelo fato de ter praticamente todo o material eletrônico usado na montagem na oficina em que trabalho (sou técnico em eletrônica).   Comprei apenas o gabinete de madeira, que mandei fazer por um marceneiro, alça, cantoneiras e miscelânea como tintas e fita crepe.

 
Esta é a foto inicial do ponto de partida.  Todo o material reunido.  A única diferença é que as cantoneiras plásticas usadas foram trocadas por outras com "cantos" arredondados que ficaram com melhor visual.

Foi usado um alto-falante de 8" que eu acho que seja de 40W (está apagado o selo) da arlen antigo e recondicionado que eu já tinha.

O transformador foi doado por um micro-system; primário 127/220V e secundário 16,5V + 16,5V x 3A.

Eu iria publicar o artigo todo de uma única vez, mas como o tópico no Handmades já voltou ao normal, vou fazer isto por partes para não ficar tão cansativo.

Aqui vai uma mostra do cubo depois de pronto...



O Gabinete

Segue abaixo duas fotos do gabinete da forma como recebi do marceneiro, antes de começar a lixar e pintar.  As medidas são: 35cm de altura, 28cm de largura e 20cm de profundidade.


Dá para notar nitidamente, que há uma mistura de materiais, nesta caixa; as laterais, fundo e tampo superior foi usado compensado de 15mm, e a parte frontal e traseira, foi usado mdf de 20mm.  Aqui cabe uma observação: na parte traseira foi cometido um engano, no ponto onde tem a parte fechada, deveria ser aberto, e nas partes abertas, deveria ser fechada.  A pessoa que executou o serviço teve um "pequeno" erro de interpretação do rascunho que lhe entreguei, mas enfim...

Preparando para Pintar

Aqui eu cometi um erro bem básico, após lixar a madeira da caixa, apliquei diretamente na madeira, a tinta branca, sem antes usar o selador para madeira; o resultado ficou muito ruim, além de ter ficado muito áspero, toda tinta que era aplicada, a madeira se encarregava de sugar.
Então resolvi lixar tudo de novo e preparar para nova pintura.  Conversando com alguns amigos e explicando o que tinha feito, ouvi muitos palpites de como deveria fazer, e a escolha recaiu por usar massa plástica para corrigir as irregularidades, e assim foi feito.

Nesta etapa, arrumei uma ajudante para fiscalizar o que eu estava fazendo...


 Nesta três fotos acima, dá para ver bem as irregularidades da pintura a que me referi, quando a tinta foi aplicada sem nenhum tratamento da madeira.  Como sou meio preguiçoso, nesta parte de lixar, passei logo uma lixa nº 80 para remover tudo, apliquei massa plástica (o famoso plastic, usado na pintura de autos), e aí sim caprichei; usei várias lixas até tirar todo o excesso de massa plástica, e corrigir todas irregularidades e deixar bem lisinho.

Obs: A madeira deve ser lixada com lixas nº100, 150 e finalizando com 220, após retirado todo pó, aplicar duas demãos de seladora para madeira, esperar secar bem, dar uma outra lixada com uma lixa mais fina que a 220 e aplicar mais duas demãos de seladora antes de pintar.

Mascarando para Pintura

Esta foi a parte mais difícil da pintura, procurei caprichar, para não cometer erros, e ter que fazer de novo.

Nesta primeira parte do mascaramento, passei duas camadas de fita crepe em volta do gabinete, só a frente e traseira ficou sem fita.


Após ter aplicado a fita em volta do gabinete, coloquei as quatro páginas tamanho A4 impresso em impressora jato de tinta com o motivo escolhido, voltei a passar fita crepe agora em todo o gabinete, isolando totalmente o fundo branco e o motivo aplicado.

Começando a Pintura

Aqui começa a pintura propriamente dita; para aplicar a cor vermelha, foi só usar o estilete e régua de aço, para recortar  e retirar a cor correspondente impressa na folha A4 que está envolvida pela fita crepe. 



Assim ficou após a aplicação da primeira cor


Para aplicar a segunda cor; o azul, o processo é o mesmo, isola-se o vermelho que acabou de ser pintado, e recorta-se o azul, e mais jet nela...
 





Aqui está o resultado, após retirado a mascara após a aplicação final da segunda cor.







Notem que não ficou tão perfeito o casamento dos motivos, principalmente onde se juntam nos cantos, mas isto não vai fazer muita diferença no resultado final, pois quando colocar as cantoneiras, elas irão disfarçar qualquer imperfeição.

E aqui está o resultado final do gabinete, após colocar as cantoneiras, que eram pretas, e foram pintadas de azul para não destoar do restante...






Para finalizar, coloquei um adesivo que foi feito com transparência adesiva para jato de tinta, e aplicado três demãos de verniz incolor para proteger.  As tintas e verniz são da marca Suvinil multi-uso.

 Espero que tenha gostado desta parte.  Aqui chegamos ao fim da construção do gabinete, e nas próximas postagens, vamos dar início a construção da parte eletrônica com a montagem do amplificador...


 

Montagem do Amplificador - Parte Eletrônica

A partir de agora vamos começar a montagem do amplificador em seu gabinete metálico.  Foi usada uma caixa com as seguintes medidas: 25cm de largura, 17cm de profundidade e 7cm de altura.  Abaixo uma foto da caixa antes da furação.



Aqui uma foto da caixa com a furação já pronta




Aqui uma foto da placa do amplificador já montado, para orientar a montagem.




Verificando a furação



Acomodando dentro da caixa



Adicionando o transformador



Aqui uma amostra do primeiro layout do painel frontal, que só depois de pronto foi que o Fernado Bello, um membro do fórum Handmades notou que eu tinha grafado errado a palavra IMPUT em vez de INPUT, e tive que fazer de novo.








Após a correção, também foram escolhidos outros Knobs, para ficar mais próximo do padrão de cores adotado.

E aqui está o resultado final, após colocar a caixa do amplificador dentro do gabinete.
















Bem; agora que terminei todo o projeto, vou adicionar um link do arquivo pdf (é só clicar no link) que inclui o esquema elétrico, o layout da placa de circuito impresso, assim como o guia de montagem e lista de componentes, caso alguém queira se aventurar a montar um...

Cabe aqui algumas informações adicionais:

1º - O projeto inicialmente era para ter 10W ou 15W de potência, e usando um transformador de 12V+12Vx1,5A ou 2A para ser considerado um amplificador de estudos.

2º - Como o transformador que eu tinha disponível era de 16,5V + 16,5V x 3A, que foi aproveitado de um microsystem, e após retificado para fonte de alimentação, passei a ter +21,5V e -21,5V, o que ultrapassa a tensão de segurança para alimentar o integrado de saída (TDA2030) e os integrados da parte do pré-amplificador (CA4558).

3º - Então tive que fazer algumas modificações; a primeira foi trocar o integrado de saída por um integrado que suportasse o aumento de tensão (TDA2050), com isto passei a ter em torno de 25W de potência final.  Os resistores de 47R foram trocados por 220R, e adicionado 2 zener de 15V por baixo da placa, para garantir a integridade dos integrados pré-amplificadores (CA4558).

Caso alguém deseje montar com o TDA2030 na saída é só usar transformador de 12V+12V e seguir o projeto a risca.

Espero que tenham gostado do resultado final.  Vou adicionar mais alguns vídeos de amostra do Cubo em funcionamento.

As gravações foram feitas usando uma camera digital FUJFILM Finipix S2800HD, que não é apropriada para este fim; primeiro pelo fato de captar além do som do aplificador, captar também todo som ambiente, como por exemplo o barulho do ventilador de teto, e além disto esta camera tém um defeito que é captar o barulho do próprio motor quando o zoon é acionado.  Fora isto acho que dá para ter uma ideia do som do amplificador.




Não poderia deixar de agradecer ao meu amigo Rodrigo, o guitarrista que se prontificou a testar o Cubo para mim...

E aqui o resultado; a alegria do meu filho Junior, acompanhado do seu Kit Felicidade...



Finalizado.